Menú

QUARTO DE MILHA

Mulheres brilham em competições equestres

Aumenta a presença feminina nas provas da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha

A participação de amazonas nas competições da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha (ABQM) cresceu 20% nos últimos dez anos. O desempenho feminino nas pistas também tem surpreendido.

A personal trainer Cláudia Delbem reveza os tênis de corrida com as botas de competição há 11 anos. O cavalo é tratado como um filho e a preparação física para competir nas provas oficiais é digna de uma atleta olímpica.

– Força muito a articulação do joelho, então você precisa sempre estar preparada, sempre condicionada e quanto mais magra, melhor, para ter mais facilidade de exercer o movimento. Treino com meus alunos, faço maratonas de corrida de 5, 10, 15 km e também na academia –, afirma a competidora.

Além do condicionamento físico, Marina Carani não descuida do visual. O regulamento obriga que quem monte use calça, camisa e chapéu. Mas, onde tem lugar para um brilhinho a mais, ela não economiza no estilo.

– Calça diferente, camisa legal, que chama a atenção, sempre me arrumando. [O visual] É sempre uma preocupação! Não pode deixar a vaidade ir embora -, afirma a amazona.

Monique Costa Silva também não dispensa os toques femininos, nela e no cavalo. Mesmo cuidando pessoalmente da preparação do parceiro de prova, suas unhas estão sempre impecáveis. A amazona participou pela primeira vez de uma competição oficial da ABQM nesta temporada, e foi difícil segurar a emoção antes de entrar na pista.

– É uma prova muito boa, muito grande. Era um sonho, e conseguir correr aqui é bem emocionante. Estou tremendo –, confessa. 

Assim como acontece com os cavaleiros, a paixão das mulheres pelos cavalos costuma começar bem cedo.  Mariana Gracioli Carvalho tem 11 anos e compete desde os três.

– Ah, eu escolho uns acessórios bem coloridos que combinam com crianças –, diz a menina.

Desde o início das competições, as amazonas têm livre acesso a todas as modalidades. E assim como o número de inscrições, que cresce ano a ano, o desempenho delas surpreende até mesmo os juízes.

– Hoje, o que a gente quer no cavalo é que ele seja bem adestrado, que não seja preciso disputar força com ele –, afirma o juiz da ABQM Luis Celso Cuba. E com isso, segundo ele, as mulheres estão levando vantagem, já que teriam mais sensibilidade para lidar com essa característica e obter mais resultados nas provas.

Nome:

Email:

Deixe um comentário:

Escreva os números da imagem:

últimas notícias

Previsão para hoje -


▲ Máx
▼ Min




Confira a previsão dos próximos dias

Fonte: Somar Meteorologia