BOVINOS

Conheça a Raça: gado charolês possui 150 mil animais registrados no país

Raça chegou ao Brasil há 127 anos e apresentou fácil adaptação

O gado da raça charolês chegou ao Brasil há 127 anos e mostrou que, além de rústico, é também de fácil adaptação. Hoje são cerca de 150 mil cabeças registradas, sendo 50 mil do gado puro de origem. Os maiores rebanhos estão nos Estados do Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo, mas a raça também está presente nas regiões Norte e Nordeste, onde é bastante utilizada para o cruzamento com o zebu.

Conhecida no Brasil por ser a base genética do gado canchim e purunã, o charolês é uma das raças mais antigas que se tem registro em todo o mundo.  O gado charolês é originário da França, onde foi selecionado a partir do século XVIII, como uma raça de tripla aptidão. O porte avantajado garantia produção de carne, leite e força para a tração de equipamentos pesados. O animal se caracteriza por produzir carcaças com grande massa muscular, além da precocidade nos cruzamentos e nos abates.

 — Ela é a raça que mais imprime peso de carcaça e rendimento de carcaça das raças européias. Isso aí no cruzamento com o zebuíno, vai somar as qualidades do zebuíno para o Brasil Central. No cruzamento com britânicas, vai somar as qualidades da britânica para a região Sul. Para ter uma idéia a média de peso carcaça das vacas charoles registradas, PC, PO, é em torno de 300 kg o peso da carcaça fria —  afirma o pecuarista José Carlos Dorneles.

A qualidade da carne do charolês, com pouca gordura, é reconhecida e bastante aceita na Europa. Na década de 1980, grande parte da produção do Rio Grande do Sul era destinada à exportação.

Conheça a Raça: confira todas as matérias da série

Assista à matéria exibida no Jornal da Pecuária:

Nome:

Email:

Deixe um comentário:

Escreva os números da imagem:

últimas notícias

Previsão para hoje -


▲ Máx
▼ Min




Confira a previsão dos próximos dias

Fonte: Somar Meteorologia