OVINOCULTURA

Temperatura elevada beneficia criação de ovinos no Rio Grande do Sul

Produtores da região central do Estado esperam superar em 2012 a taxa de desmame

O período de nascimentos de cordeiros começou no Rio Grande do Sul. Em 2012, os criadores da região central do Estado esperam superar a taxa de desmame. As temperaturas mais quentes deste inverno favoreceram o período de nascimento dos animais, porque diminuem o choque térmico que os animais enfrentam.

— A taxa de desmame é de 60% a 70%. Acredito que vamos ter uma boa surpresa esse ano. Acredito que vamos desmamar acima de 80%. Ainda não é o ideal, mas vamos ter um acréscimo de 15% em relação ao ano passado — diz o presidente da Cooperativa de Lã Tejupa, Carlos Leal.

O município de São Gabriel, no centro do Estado, tem 500 criadores de ovinos e um rebanho de 147 mil cabeças. Até setembro devem nascer 70 mil cordeiros nas propriedades da cidade. O criador Nairo Gonçalves tem mais de mil ovelhas e está satisfeito com a produção média de 2012, de 1,5 cordeiro por fêmea.

Enquanto várias culturas sofrem os efeitos da seca no Estado, a estiagem não afetou a ovinocultura.

— A ovinocultura não tem sofrido problemas em relação ao clima. A ovelha se adapta muito bem com o tempo seco em função de ter uma verminose menor. As doenças de casco diminuem bastante. Tanto em ano com seca quanto em ano normal de chuva a ovinocultura vai muito bem — comenta Leal.

A carne produzida em São Gabriel é vendida para os Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. O cordeiro vivo custa em média R$ 4,00 o quilo, mesmo preço de 2011.

Nome:

Email:

Deixe um comentário:

Escreva os números da imagem:

últimas notícias

Previsão para hoje -


▲ Máx
▼ Min




Confira a previsão dos próximos dias

Fonte: Somar Meteorologia