Menú

MEIO AMBIENTE

Cresce uso de técnicas de baixo carbono em MT

Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta é usado em 700 mil hectares no estado

O uso do sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), método que visa integrar aumento de produtividade e conservação de recursos naturais, está evoluindo em Mato Grosso, graças à disponibilização de recursos pelo Programa de Agricultura de Baixo Carbono (ABC), do governo federal, e o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO).

De acordo com dados do Observatório ABC, iniciativa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de promover a agricultura de baixo carbono, o uso do sistema ILPF avançou de 10 mil hectares, em 2004, para 700 mil hectares.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) enumera uma série de vantagens desta técnica, como a melhoria dos atributos do solo, devido ao aumento da matéria orgânica, e a diminuição da necessidade de abertura de novas áreas.

• Veja também: Brasil responde por 50% da queda na emissão global de CO2

O pesquisador da Embrapa, Flávio Jesus Wruck, comemora esta evolução, mas destaca que existem uma série de desafios para expandir esse sistema, como convencer os produtores e a falta de recursos suficientes, mesmo com as atuais linhas.

– O Programa ABC resolve parte desse desafio, mas ele ainda é difícil de obter por ser uma linha muito burocrática – disse.

Nome:

Email:

Deixe um comentário:

Escreva os números da imagem:

últimas notícias

Previsão para hoje -


▲ Máx
▼ Min




Confira a previsão dos próximos dias

Fonte: Somar Meteorologia