Polícia Civil fecha fábrica clandestina de azeite e apreende 150 galões Paste this at the end of the tag in your AMP page, but only if missing and only once.

CONDIÇÃO PRECÁRIA

Polícia Civil fecha fábrica clandestina de azeite e apreende 150 galões

Segundo os agentes, um homem de 56 anos que se apresentou como gerente da fábrica foi preso e não apresentou alvará de funcionamento

Apreensão de azeites em fábrica cladestina
Foto: Polícia Civil de São Paulo

A Polícia Civil de São Paulo fechou uma fábrica clandestina de produção e comercialização de azeite em Jacareí, no interior do estado, na última sexta-feira (17). O local foi fechado por apresentar produção precária e sem condições de higiene.

Durante a operação, que envolveu a Vigilância Sanitária, um homem de 56 anos, que se apresentou como gerente da fábrica, foi preso. Segundo os agentes, o encarregado do local não apresentou alvará de funcionamento.

Outras três pessoas que estavam no local foram questionadas e afirmaram terem sido contratados há dois meses e não haviam conhecimento sobre a prática ilícita.

De acordo com a Polícia Civil, 150 unidades de azeite foram apreendidas, além de 74 mil rótulos de diferentes marcas de produto conhecidas, 24,4 mil tampas, 15 mil caixas de papelão, um notebook, dois celulares e diversos documentos.

O gerente foi encaminhado ao 2° Distrito Policial de Jacareí, onde o caso foi registrado como falsificação, corrupção ou alteração de produto. 

*Sob supervisão de Luis Roberto Toledo

Sair da versão mobile