Falso fazendeiro aplica R$ 860 mil em golpes na compra de gado

CRIME

Falso fazendeiro aplica R$ 860 mil em golpes na compra de gado

O golpista apresentava um portfólio falso de gado, alegando ser proprietário de uma grande fazenda em Goiás

pecuária, gado, boi, paraná
Foto: Gilson Abreu/AEN

A Polícia Civil do Tocantins indiciou um homem de 49 anos por aplicar golpes na compra de gado em Paraíso do Tocantins e região.

O prejuízo total aos produtores rurais ultrapassou R$ 860 mil.

Segundo as investigações, o estelionatário se aproximava de profissionais do setor agropecuário, como zootecnistas e engenheiros agrônomos, demonstrando interesse em adquirir gado puro de origem (PO).

Estes profissionais, acreditando na boa fé do comprador, o apresentavam aos fazendeiros, aumentando a credibilidade.

O golpista apresentava um portfólio falso de gado, alegando ser proprietário de uma grande fazenda em Goiás.

No entanto, a investigação constatou que a fazenda não pertencia mais ao suspeito há mais de dois anos.

Durante as negociações, o golpista pagava uma entrada de 10% do valor total da transação em dinheiro e emitia cheques pós-datados para o restante do pagamento.

No entanto, os cheques nunca foram compensados por falta de fundos ou eram fraudados.

Investigação do golpe do gado

A Delegacia Especializada de Combate a Crimes Rurais e Abigeato (Deleagro) conduziu a investigação.

O delegado Gustavo Henrique da Silva Andrade, responsável pelo caso, destacou a importância da investigação para prevenir novos golpes.

“Com a conclusão das investigações e a punição do autor, esperamos que os produtores sejam ressarcidos pelos danos sofridos. A Deleagro se coloca à disposição de outros produtores que porventura tenham sido vítimas de golpes semelhantes”, disse.

Sair da versão mobile