Ciclone e frente fria nos próximos dias; saiba o que pode acontecer Paste this at the end of the tag in your AMP page, but only if missing and only once.

PREVISÃO TEMPO

Ciclone e frente fria nos próximos dias; saiba o que pode acontecer

Segundo previsões Inmet, os eventos climáticos podem provocar ventos fortes, queda acentuada nas temperaturas e até mesmo alagamentos

primavera - ciclone - frente fria - país - previsão
Foto: NOA/Nasa/reprodução

O Sul do Brasil se prepara para enfrentar um cenário climático desafiador nos próximos dias, marcado pela combinação de uma nova frente fria intensa e a possível formação de um ciclone extratropical próximo à costa da região.

Segundo previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), essa conjunção de eventos pode trazer ventos fortes, queda acentuada nas temperaturas, risco de chuvas e até mesmo alagamentos em algumas áreas.

O Inmet emitiu um alerta laranja abrangendo grande parte do Sul do país, incluindo 100% do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além de áreas do Paraná e do centro-sul do Mato Grosso. Nas regiões mais afetadas, as temperaturas podem despencar para entre 0°C e 5°C, especialmente no centro-sul gaúcho e na Serra Gaúcha.

Geadas

A capital gaúcha, Porto Alegre, por exemplo, verá uma queda significativa nas temperaturas no início da semana. Entre terça-feira (14) e quarta-feira (15), os termômetros podem marcar entre 10°C e 16°C, com geada prevista para o amanhecer da quarta-feira. Essa será a temperatura mais baixa do ano até o momento na cidade.

Apesar da queda brusca nas temperaturas, a previsão indica diminuição das chuvas e da nebulosidade no início da semana.

Ventos fortes e ressaca

O Inmet também emitiu um alerta amarelo para ventos costeiros, que podem atingir até 90 km/h e causar deslocamentos de dunas em áreas litorâneas.

A Marinha do Brasil também alerta para a possibilidade de ressaca no litoral gaúcho, com ondas que podem alcançar entre 2,5m e 3,0m de altura.

A ressaca é causada pelos ventos persistentes que dificultam o escoamento das águas da Lagoa dos Patos para o Oceano Atlântico.

Sair da versão mobile