Menú

SEGURO RURAL

PR: trigo tem novo zoneamento agrícola para a safra 2017/2018

Segundo a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), praticamente todos os municípios tiveram alterações nas classificações de risco 

Uma portaria publicada na última semana no Diário Oficial da União (DOU), estabeleceu o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para trigo sequeiro plantado no Paraná na safra 2017/2018.

O instrumento define os municípios aptos ao cultivo do cereal e identifica os níveis de risco em cada decêndio, classificando em 20%, 30% e 40% o risco de perda da safra, caso ocorra algum evento climático adverso.

Para a safra 2017/2018 praticamente todos os municípios tiveram alterações nas classificações de risco dos decêndios de plantio, em sua maioria com definição de riscos menores que o da temporada anterior. Poucos não tiveram qualquer tipo de alteração, como Palmas e Santo Antônio do Sudoeste.

Municípios como Carambeí, Ibiporã, Santa Tereza do Oeste e Tibagi tiveram ampliação de suas janelas de plantio. As mudanças mais expressivas ocorreram para os municípios de Curiúva, Figueira, Jaguariaíva, Sapopema e Ventania, especialmente com antecipação da janela de plantio. São José da Boa Vista é um dos poucos casos de atraso no período de plantio anteriormente vigente, nesse caso de três decêndios para cultivares do grupo I.

De acordo com a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), o produtor deve consultar quais os níveis de risco com a sua seguradora, pois algumas empresas adotam todos os níveis (20%, 30% e 40%), enquanto outras somente o risco mais baixo, de 20% de perda.

Devido às alterações, o produtor ou o responsável técnico devem ficar atentos e consultar a portaria no site do Ministério da Agricultura ou por meio do Sistema Siszarc.

O novo Zarc do trigo atende uma demanda da Comissão Técnica de Cereais da Faep, após avaliar que o antigo instrumento induzia produtores a plantar em períodos impróprios. A entidade solicitou, junto ao Ministério da Agricultura e a Embrapa novos estudos para melhorar a metodologia da pesquisa.

O estudo expressa com maior precisão os riscos de geada e de chuva excessiva, visando mitigar os riscos de produção. O trigo possui um padrão oficial de classificação mais rigoroso que outras culturas devido aos requisitos de qualidade exigidos pela indústria moageira para a produção das farinhas. Esses aspectos qualitativos estão diretamente relacionados ao manejo a campo e às condições climáticas regionais, além de outros fatores.

Nome:

Email:

Deixe um comentário:

Escreva os números da imagem:

últimas notícias

Previsão para hoje -


▲ Máx
▼ Min




Confira a previsão dos próximos dias

Fonte: Somar Meteorologia