PROJEÇÃO

Brasil vai responder por 32,8% da exportação mundial de milho, diz USDA

A participação do Brasil nas exportações mundiais deve passar de 30,1% em 2024/25 para 32,8% em 2033/34, disse o USDA

Milho espiga
Foto: Envato/Divulgação

As exportações brasileiras de milho devem aumentar 30,3% nos próximos dez anos, alcançando 77,5 milhões de toneladas em 2033/34, de acordo com projeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês).

A participação do Brasil nas exportações mundiais deve passar de 30,1% em 2024/25 para 32,8% em 2033/34, disse o USDA.

Segundo o departamento dos EUA, o crescimento das exportações brasileiras continua associado à expansão de novas áreas agrícolas na região Centro-Oeste do País.

Além disso, “os rendimentos têm melhorado constantemente para a produção de milho de segunda safra e o momento da colheita da segunda safra impulsiona as exportações, dando ao Brasil uma vantagem competitiva sobre os países do Hemisfério Norte”, disse o USDA.

Os embarques dos EUA devem aumentar 21,9% no período, para 63,5 milhões de toneladas em 2033/34.

Já a participação nas exportações mundiais deve crescer levemente, de 26,4% para 26,9%, segundo o USDA.

A Argentina deve ser o terceiro maior exportador de milho no período de projeção, com os embarques crescendo 14,4%, para 45,7 milhões de toneladas em 2033/34.