CORTES

12 estados produzirão menos soja em 2023/24

O 3º Levantamento da Safra de Grãos 23/24, divulgado pela Conab nesta quinta-feira (7), reduziu a produção da oleaginosa

grãos de soja
Foto: Envato

A safra 2023/24 de soja prometia. Após três temporadas marcadas pela presença do La Niña, grande parte dos produtores comemorou quando soube que o planeta estaria sob a incidência do El Niño.

Isso porque o fenômeno costuma privilegiar os sulistas – que sofreram com estiagens seguidas – e não afetar negativamente o Centro-Oeste.

No entanto, o excesso de chuva no Sul e a carência no centro-norte do país trouxeram perspectivas negativas para a principal commodity agrícola do Brasil. O estresse hídrico tem afetado diretamente a produtividade da soja e os principais estados produtores já registram replantio em grandes áreas.

Por conta desse cenário, o 3º Levantamento da Safra de Grãos 2023/24, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira (7), indicou cortes na produção da oleaginosa.

Como estados que produzem soja, desde o Ceará (15,5 toneladas) até Mato Grosso (43.492,9 milhões de toneladas), a entidade computa 21 unidades da federação. Dessas, 12, mais o Distrito Federal, devem ter cortes no número de sacas colhidas.

Estados com estimativa de produção reduzida (em ton)

ESTADOSAFRA 22/23SAFRA 23/24REDUÇÃO
Acre45,738,914,9%
Amapá19,719,22,5%
Tocantins4.809,34.751,01,2%
Maranhão3.910,03.903,20,2%
Ceará17,915,513,9%
Alagoas19,117,29,9%
Mato Grosso 45.600,543.492,94,6%
Mato Grosso do Sul14.054,313.885,91,2%
Goiás17.734,917.045,83,9%
Distrito Federal318,5310,52,5%
São Paulo4.911,44.705,24,2%
Paraná22.384,921.773,12,7%
Santa Catarina2.873,52.821,71,8%

Já entre os estados que devem aumentar a produção entre o ciclo passado e este, destaca-se o Rio Grande do Sul. Assim, parte de 13.018,4 para 21.887,8 milhões de toneladas, alta de 68%.

No relatório anterior, a Conab projetava a produção brasileira de soja em 162 milhões de toneladas. No atual, indica 160 milhões de toneladas.