Menú

NOVIDADE NO BRASIL CENTRAL

Cevada é opção para rotação com soja no Distrito Federal

Com o apoio da Embrapa e da indústria cervejeira, cultura é alternativa de renda antes do início da safra da leguminosa

Produtores do Distrito Federal encontraram uma nova opção para fazer rotação de plantio com a soja. Com o apoio da Embrapa e da indústria cervejeira, eles ganharam uma alternativa de renda antes do início da safra da leguminosa.

Leomar Cenci é um dos que resolveram apostar na cevada. A planta tem ciclo de 110 dias e exige irrigação, mas não em grande quantidade. “O que mais pesou na decisão foi mesmo a questão hídrica; o trigo, por exemplo, demanda uns 400 milímetros de água, e a gente tirou (do campo) a cevada com 200 milímetros”, afirma.

A cevada é uma planta típica do clima frio, mas a cultivar BRS Brau, desenvolvida pela Embrapa, apresenta maior resistência ao calor. No Planalto Central, conta ainda com ventos e temperaturas mais baixas à noite.

O engenheiro agrônomo Cláudio Malinski afirma que a cevada, para ser cultivada o Centro-Oeste, precisa encontrar altitudes de pelo menos 600 metros acima no nível do mar. Num raio de 200 km ao redor de Brasília, a altitude está em torno de 1.000 metros. “Isso compensa a distância que temos do frio, compensa a falta de frio”, diz.

Não falta demanda para o produto no Cerrado. Uma indústria de cervejas pretende, inclusive, aumentar a área de produção na região central do Brasil, alcançando 25 mil hectares nos próximos anos. Por enquanto, a lavoura é experimental: a expectativa é de chegar a 70 sacas por hectare. Mais importante para a indústria do que a quantidade de produto, entretanto, é a qualidade. O grau de proteína ideal do grão é de 12%, índice atingido com adubação moderada.

O agrônomo Malinski afirma que é preciso tomar alguns cuidados com a adubação nitrogenada, que não pode passar de 50 kg de Nitrogênio por hectare. “(Mais do que isso) Pode aumentar o teor de proteína no grão, o que é indesejável, a cerveja fica mais amarga", diz.

Após a colheita, os resíduos orgânicos deixados pelo cultivo da cevada vão facilitar o plantio direto de outros produtos, como a soja. O produtor Leomar Cenci afirma que, além da palhada, a cevada também colabora com seu sistema radicular agressivo. “Essa raiz vai fazer com que, no momento que cair a chuva, haja uma infiltração melhor da água, fazendo com que a gente produza mais soja”, diz.

Nome:

Email:

Deixe um comentário:

Escreva os números da imagem:

últimas notícias

Previsão para hoje -


▲ Máx
▼ Min




Confira a previsão dos próximos dias

Fonte: Somar Meteorologia